Venha compartilhar um pouco do trabalho que realizo como historiador e professor da cidade de Cotia. Mergulhe no passado das pessoas que construiram este lugar, recorde fatos marcantes que deram identidade cultural a esta cidade.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

TODO DIA É DIA DE MÃE.



MÁRIO QUINTANA
  Mãe... São três letras apenas
As desse nome bendito
Também o céu tem três letras
E nelas cabe o infinito

Para louvar a nossa mãe,
Todo bem que se disser
Nunca há de ser tão grande
Como o bem que ela nos quer

Palavra tão pequenina,
Bem sabem os lábios meus
Que és do tamanho do CÉU
E apenas menor que Deus!


O dia das mães está chegando e como todo dia comemorativo começa o movimento frenético das compras. Muitas vendas!  Os comerciantes projetam vendas melhores que o ano anterior e ao sair de casa para adquirir um presente chega a ser estressante, mas é um gesto importante e simbólico para mostrar o amor que sentimos pela progenitora. O presente é um intermediário para agradecer a dedicação, o carinho e os cuidados que as mães dão durante a vida dos seus rebentos. O meu presente este ano vai ser um abraço forte e o prato que ela gosta muito, bacalhau ao forno. Assim pretendo zelar este amor de mãe e filho que começou a ser construído bem antes do meu nascimento. A minha História com minha mãe começa deste jeito.


Uma viagem no tempo:

1960: Tereza Rivera ou vovô da bala, como os netos a chamavam, era uma senhora do tipo antigo, rígida na educação dos filhos e de uma inteligência singular. Tornou-se professora sem frequentar a escola, autodidata. Por detrás desta casca grossa existia uma mulher generosa e conhecedora dos valores medicinais das plantas, os médicos da cidade encaminhavam até ela pacientes para que sua sabedoria desse um caminho de solução. Dona de um bar em Votuporanga, muitos moradores da cidade e de fora a procuravam para seus remédios naturais. Minha mãe biológica, Judite Gomes da Silva, sabendo que ali poderia encontrar abrigo, prestes a ganhar um bebe e com o objetivo de doa-lo. Pois, tinha passado uma gravidez solitária.     


Dia das mães é muito mais que um presente:

Essas coisas da vida, minha mãe biológica bateu na porta certa. Assim desta forma fantástica começa minha vida com minha mãe de coração. Como acredito que o parentesco não é de sangue e sim de espirito, ela é minha mãe de verdade. Que me educou e que soube compreender os meus  conflitos existenciais. Foi e é de fato minha mãe. Um abraço a todas as mães que de formas diferentes amam seus filhos. Um abraço a todas as mães que não puderam ser mães, mais que se colocaram a disposição para amar alguém. Sou uma pessoa de sorte, pois tenho duas mães. Qualquer dia desse eu me proponho a escrever em detalhes a História da minha adoção. Se você não pode comprar um presente e assim materializar seu amor pela sua mãe, de um abraço, se ela esta longe, ligue e dê uma palavra de conforto. Se ela se tornou uma estrela, acho que toda mãe quando parte se torna uma estrela, mate a sua saudade com boas lembranças. Agora vamos celebrar este domingo, afinal é dia das mães!