Venha compartilhar um pouco do trabalho que realizo como historiador e professor da cidade de Cotia. Mergulhe no passado das pessoas que construiram este lugar, recorde fatos marcantes que deram identidade cultural a esta cidade.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

PERDEMOS A COPA DO MUNDO


Este texto merece começar com as seguintes máximas: Ninguém se lembra do vice. Quem ficou mesmo em segundo lugar? Quem ficou em terceiro lugar? Alguém ficou em quarto?Para milhões de brasileiros que gostam de futebol queríamos de verdade ter colocado a mão na taça. Não conseguimos!No jogo contra a Alemanha perdemos feio. Ficamos atônitos. Inacreditável! Inexplicável! Essas eram as palavras mais ditas pelos torcedores para justificar a derrota.

Queremos mesmo é ficar sempre em primeiro lugar, mas nem sempre é possível. 

A ficha cai...

Ora, depois de alguns dias que a ficha começa a cair, paramos para pensar.Pensar? Nenhuma seleção ganha uma Copa do Mundo no grito. Ora, grito e entusiasmo foram sentimentos que não faltaram... Gritamos com todas as forças. Todas mesmo! Exaustivamente.

Fomos desonrados dentro de casa. Será?

Começamos a perder a Copa quando grupos ligados aos seus interesses políticos e econômicos passaram todos esses anos metendo a lenha no Brasil. Criaram um espectro que não éramos capazes de organizar um evento dessa proporção.
As previsões catastróficas sobre a realização da Copa do Mundo no Brasil não se realizaram. O evento foi um sucesso!
Criou-se uma imagem negativa aqui e lá fora. Uma tentativa amadorística para mostrar uma insatisfação com o atual governo (que merece crítica). Infelizmente,confundimos paixão nacional com política (com maldade). Não era hora de misturar alhos com bugalhos. O tiro saiu pela culatra. Sucesso. Pesquisas mostraram que uma boa parte dos brasileiros estava orgulhosa com as realizações do evento.

Previsões babilônicas.

Os aeroportos vão se transformar em um verdadeiro caos. Os estádios não ficarão prontos. Vamos passar uma vergonha internacional. A mobilidade até os locais dos jogos que já são ruins vão piorar ainda mais. Vamos passar vergonha. As previsões caíram por terra. Os estrangeiros adoraram a organização. Alguns declararam amor ao Brasil.

Estamos esquecendo de jogar bola.

Faz tempo que estamos perdendo a Copa. Falta de planejamento. Corrupção. O mercado (investidores) cria ídolos em segundos e vendem por muito dinheiro. Cuidar de jogador virou um bom negócio. Cadê os nossos jogadores? Cadê os clubes? Querer culpar o Fred pela péssima campanha da seleção é não querer ver que o buraco é mais embaixo.

Sabíamos que não chegaríamos à final. Vivemos de ilusão. Fantasiamos. Adoramos heróis. Que não são tão heróis assim. Jogamos bem só no primeiro tempo contra a Colômbia. Nos outros jogos contamos com a sorte (trave e erro do árbitro). Tínhamos que mentir, criar uma bolha ilusória de que poderíamos ser hexa. Talvez, por isso,gritássemos tanto. Quem grita muito é porque não tem razão.

Como somos covardes. Queríamos jogar toda responsabilidade de ganhar o título nas costas do Neymar. Esquecemos que futebol é um jogo coletivo. Assim é fácil. Temos uma capacidade nacional de transformar heróis em vilões em questão de segundos. Os garotos do Brasil foram guerreiros. Choraram quando perceberam que não poderiam chegar lá. Queriam nos presentear com a taça. Não sejamos ingratos. Gratidão é uma virtude.

Lembram o que fizemos com Barbosa na década de cinquenta?


PS: na madrugada de sábado acordei em sobressalto com gente gritando que a Argentina tinha ganhado a Copa do Mundo no Brasil. Imaginem, aguentamos 64 anos os uruguaios tirando um sarro com a nossa cara. Não resistiria mais 64 anos Los Hermanos dizendo que ganharam a Copa no Brasil. O pior é ouvir que Maradona é melhor que Pelé. Risos.