Venha compartilhar um pouco do trabalho que realizo como historiador e professor da cidade de Cotia. Mergulhe no passado das pessoas que construiram este lugar, recorde fatos marcantes que deram identidade cultural a esta cidade.

domingo, 23 de novembro de 2014

QUE ÓDIO!


Ódio contra nordestino! Ódio homofóbico! Ódio da Friboi! Outro dia uma senhora no mercado disse que não compraria mais carne da Friboi enquanto a Dilma continuasse dona da empresa.Ódio pela cor vermelha (anticomunismo)!O que está acontecendo com as pessoas que, de um tempo pra cá, começaram a se revelar, sobre assuntos que aparentemente estavam resolvidos, com tanto ódio.Na verdade assuntos que não estavam tão resolvidos,mas encubados em nome do politicamente correto.

Existe uma mistura de ódio com desinformação.

Os comentários de que a Friboi era do filho do Lula também foi pauta (bobagem). Enquanto isso deixamos de discutir coisas importantes. Outro dia um jovem foi hostilizado quando passava pela Paulista e encontrou um grupo querendo o impedimento da Presidenta Dilma e, outro, a volta dos militares. Haja ignorância! Parece que estamos entrando em um frenesi apocalíptico.

Violência cega!

Um grupo de jovens espancou outro jovem até a morte por achar que ele era gay. O que determina que alguém seja isso ou aquilo? A roupa? O jeito de falar? O jeito de andar? O que determina que se possa espancar alguém até a morte? O que, afinal? Existe um padrão físico? Existe um padrão na vestimenta?

Linchamento!

Uma senhora ainda moça (mãe) foi linchada no litoral por um motivo banal. Alguém postou nas redes sociais que ela fazia feitiçaria com crianças. Será que não aprendemos nada com os acontecimentos como o caso da escola de base? Cenas animalescas.

O pior de tudo é que muitos que estão provocando esse tipo de situação de ódio e gente de “catigoria” (também tem gente sem “catigoria”nenhuma nesse meio).

Será que adianta escrever sobre esses movimentos? Intituláveis! Penso que sim. Seria a mesma coisa que colocar um doce em uma estante e pedir para uma criança não mexer. Parece que existe uma convicção autoritária de que tudo isso está certo para defender o status quo. Uma defesa imbecil contra o comunismo. Argumentos irracionais! Sem sentido! Descontextualizados. Que ódio é esse? Será que estamos entrando na onda da barbárie? 


Que nada, já estamos nela faz tempo... Nunca saímos!