Venha compartilhar um pouco do trabalho que realizo como historiador e professor da cidade de Cotia. Mergulhe no passado das pessoas que construiram este lugar, recorde fatos marcantes que deram identidade cultural a esta cidade.

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

ALUNOS OCUPAM A ESCOLA PEQUENO COTOLENGO EM COTIA



A Escola Pequeno Cotolengo, em Cotia, está entre as que fecharão suas portas aos alunos da comunidade no próximo ano. O Governo do Estado de São Paulo está irredutível no sentido de abrir mão do Projeto de Reorganização das Escolas, mesmo das que foram ocupadas pelos alunos. Enquanto o Governo investe na racionalidade do projeto, os alunos se apegam aos sentimentos. Apegam-se ao afeto pelo espaço escolar que faz parte das suas vidas. Talvez seja este fator sentimental importante que o governo não tenha percebido. 


O que diferencia a Escola Pequeno Cotolengo das outras que o Governo deseja fechar é que ela está ligada à instituição religiosa Dom Orione. O prédio pertence à instituição. O Estado paga o aluguel. O Estado pensa com o bolso e os alunos, ex-alunos e professores pensam com o coração. O rolo compressor do Projeto de Reorganização não considera a memória e o afeto da comunidade pelo seu espaço escolar. Um erro gravíssimo. Foram pegos de surpresa.


Um apelo de quem foi professor desta escola na década de noventa é que o Governo abra o diálogo com a comunidade escolar para uma possível solução em relação a este fechamento. É uma oportunidade para o Governo do Estado tirar a pecha de insensível às questões da Educação. O argumento de afeto e sentimento pode parecer ingênuo. Pode parecer babaquice, mas este movimento de ocupação das escolas pelos alunos é positivo demais. Mostra que as pessoas gostam da escola e tem apego.  


Os alunos especiais do Cotolengo vão estudar em que lugar?  Em outra escola? Como fica a mobilidade destes alunos? São coisas que precisam ser conversadas. São dúvidas que precisam ser tiradas. É preciso dialogar. Mais uma vez o Governo do Estado implanta um projeto goela abaixo das comunidades escolares e enfrenta resistência por falta de diálogo. Solidarizo-me aos alunos, pais, funcionários e professores da Escola Pequeno Cotolengo.